Agatha Christie: 3 livros para conhecer a escrita da autora

Nascida em Torquay, Reino Unido, em 1890, Agatha Christie tornou-se a escritora de maior vendagem da história, com mais de 2 bilhões de obras comercializadas. Ela é, sem dúvida, uma das autoras que mais moldaram a literatura policial. Até hoje, escritores utilizam suas fórmulas para conseguir produzir uma boa trama do gênero.

Escolher por onde começar a ler Agatha Christie não é uma tarefa simples. A escritora publicou 66 romances policiais, 14 coleções de contos e algumas peças. Entre os romances policiais há, claro, alguns mais famosos do que outros. 

De forma rotineira, até mesmo quem nunca leu as obras de Christie, mas está inserido no mundo literário, conhece por nomes livros como O Assassinato no Expresso do Oriente, Morte no Nilo e E não sobrou Nenhum. Apesar do sucesso dos títulos em todo o mundo e de suas mais recentes adaptações, talvez não sejam as melhores primeiras leituras no universo de Agatha Christie. Isso por conta da complexidade nas tramas e no nível narrativo mais elaborado e com dezenas de personagens, deixando o leitor iniciante perdido.

Em certo ponto, é preciso concordar que obras com o enredo mais simples - aqui, o “simples” está longe da forma literal da palavra, para Agatha Christie, é apenas o menos abrangente, com muitos mistérios se desenrolando juntos e uma variedade limitada de personagens em cenas -, podem ser mais cativantes a quem lê o primeiro livro da autora. Sendo assim, veja abaixo três obras da intitulada Rainha do Crime, que possuem desfechos surpreendentes, mas em alguns aspectos são mais acessíveis. Contudo, há extrema engenhosidade na resolução dos casos, como de praxe.

Um Mistério no Caribe

Apesar de envolver investigações de um crime, a autora consegue trazer o clima de férias e verão para a trama, deixando-a, de certa forma, mais leve. O enredo é iniciado com a viagem de Miss Marple ao Caribe para tratar seu reumatismo. Em uma de suas tardes no hotel, a senhorinha mais amada dos fãs de Agatha Christie conversa com o Major Pelgrave. Ou, pelo menos, finge. Contudo, essa atitude é condenada pela própria quando, na manhã seguinte, o homem aparece morto.

Um Mistério no Caribe é potencialmente uma trama boa para conhecer a autora e seus métodos de distribuição de pistas ao longo das páginas. Ambientado em um hotel, os personagens suspeitos são limitados aos hóspedes.

Além disso, nesta obra leitor receberá uma boa dose de Miss Marple, já que não há policiais oficiais em ação. Deste modo, é possível conhecer por inteiro a detetive amadora, acompanhando seus métodos de dedução e apuração. Os acontecimentos e a descoberta final são totalmente capazes de cativar o público. 

A Casa Torta

Com pouco mais de 200 páginas, A Casa Torta conta a história da família Leonides. Morando todos na mesma casa, o grupo precisará cooperar com os investigadores da Scotland Yard para descobrir quem é o assassino do avô, Aristide. Charles Hayward, noivo de Sophie Leonides, conta com o apoio do pai e do inspetor da instituição e se hospeda na residência para descobrir se há ou não provas de crime e, se sim, quem entre aqueles familiares seria capaz de matar o patriarca?

A obra é considerada uma das melhores pela própria Agatha Christie. Nela, a contagem de personagens é limitada aos territórios da casa e, conforme a trama se desenrola, os medos, anseios e pontos duvidosos da personalidade dos envolvidos são revelados, mantendo em aberto o fechamento do mistério. Com um final de tirar o fôlego, o enredo é capaz de reverberar na mente dos leitores por dias a fio.

O Assassinato de Roger Ackroyd

O Assassinato de Roger Acrkoyd traz um dos finais mais impensáveis das tramadas de Agatha Christie. Tudo começa com a morte do milionário Roger Ackroyd, que é encontrado em seu escritório com uma faca na cabeça. Após o choque, Caroline Sheppard - irmã do médico da vítima - suspeita que o crime esteja ligado a outras duas mortes da vila e pede os serviços de Hercule Poirot, famoso detetive já aposentado.

A trama deste livro é engenhosa e totalmente surpreendente. Com uma gama de personagens, a autora consegue fazer com que todos tenham uma ligação com o Roger, direta ou indiretamente. Em paralelo às investigações, outras histórias se cruzam e se desenrolam. Começar por O Assassinato de Roger Ackroyd possibilita, justamente, ativar a curiosidade e entender a destreza de Agatha Christie de, ao mesmo tempo em que te entrega todas as pistas, escondê-las em meio as demais informações. É aqui que os leitores da denominada “Rainha do Crime” aprendem a desconfiar do óbvio. 

Sobre o autor

Luisa Pereira

Jornalista, escritora, editora-chefe e criadora do Lindie. Apaixonada por palavras, sempre estive acompanhada de um bloquinho de anotações. Espero um dia conseguir tocar as pessoas do mesmo modo que a Agatha Christie e o Tom Fletcher fazem com suas obras.

Logo do Twitter
Logo do Instagram

Comentários

Você também pode gostar

O centenário de Hercule Poirot e a estreia policial de Agatha Christie

Em Literatura por Luisa Pereira

Cefa mostra seu lado visceral e destrincha as faces do “Caos”

Em Música por Luisa Pereira

Agatha Christie traz o frescor do verão em Um Mistério no Caribe

Em Literatura por Luisa Pereira

Ruel, a jovem estrela em ascensão

Em Música por Luisa Pereira

Com influências do rock oitentista, Miley Cyrus apresenta nova faceta em “Plastic Hearts”

Em Música por Luisa Pereira

Dupla Anavitória traz “Cor” com apostas variadas, mas sem sair do conforto

Em Música por Luisa Pereira

Julie Neff se desprende da raiva e frustração em Over It

Em Música por Luisa Pereira

O Elevador lança Nada para num Instante: “mais maduro tecnicamente”

Em Entrevistas por Luisa Pereira

Com muita nostalgia, Taylor Swift lança a regravação do álbum “Fearless”

Em Música por Fátima Robustelli

Da MPB ao jazz: Fernando Mascarenhas lança Dizperto, seu primeiro álbum

Em Música por Luisa Pereira

Vítor Guima aposta na brasilidade com o sensível e linear “Canções Para Beatriz”

Em Música por Luisa Pereira

Em uma montanha-russa de emoções, Olivia Rodrigo atravessa desilusões em Sour

Em Música por Luisa Pereira

A pluralidade dos talentos de Darren Criss

Em Música por Gabriela de Oliveira