Logo Lindie
Banda Bravaguarda enfileirada.
Entre a sonoridade dos anos 2000 e o moderno, Bravaguarda reivindica seu espaço com um indie-pop alto astral
Entrevistas

Publicado porLuisa Pereira

em 06/07/2021

Entre um play e outro nas canções da banda Bravaguarda, há quase sempre um consenso: o som é capaz de relembrar o ouvinte das sonoridades em alta nos anos 2000. Ainda assim, não é bem isso que define o trabalho dos integrantes do grupo paulista. Existe, é claro, a mistura do antigo e do atual, ambientando o público em um lugar novo com os elementos tradicionais, como o violão e piano, e chegando às guitarras e teclados do rock contemporâneo. Formada pelos irmãos Danilo e Guilherme Barreto, Pablo Melo e Milo Andreo, a banda está reunida desde 2016.

Em seu seu último single lançado, ‘Fica Mais Um Pouco’, a banda aposta em um indie-pop alto astral como plano de fundo para contar uma história de amor. “Todo o processo de pré-produção foi feito de forma remota, cada um gravando suas ideias em paralelo até chegarmos em uma versão aceitável a ser levada para a produção final”, conta Dan, vocalista do grupo.

O clipe, dirigido por André Barreto, traz uma estética colorida que combina com o astral da faixa e reafirma a história apontada na música, mas de modo informal. “A ideia principal foi apresentar um casal atual de forma despojada, conseguindo traduzir a mensagem da música, porém sem ser de uma forma literal. Por conta da pandemia e de ainda não estarmos nos encontrando, tivemos a ideia de colocar os demais integrantes tocando em alguns aparelhos eletrônicos que tinham na locação - como o fliperama, aquela mini-tv antiga e o notebook. A fotografia é inspirada no estilo “flat” com cores contrastantes e composição simétrica, inspirada nos filmes de Wes Anderson”, explica Dan. 

Também lançado este ano, ‘Sabe’ segue a linha do indie-pop e é centrado em experiências românticas, mas, dessa vez sob o olhar do amor próprio e sem esquecer do sujeito principal: você mesmo. O videoclipe, sob a mesma direção, segue o mesmo conceito estético.

Assim, em um ritmo constante e linear, a banda imprime seus conceitos e personalidade no meio musical. Outro trabalho na mesma linha é ‘Chega', de 2020. A diferença fica mais clara quando se olha ainda mais para trás, como no primeiro álbum, ‘Abra Seus Olhos’, que apresenta um misto de folk e um country rock, variando de influências em cada canção. Agora, mais maduros, os artistas se preparam para o lançamento do novo EP.

Com estilo “de garagem”, a banda traça novos caminhos

Lindie: Qual a história de vocês na música?

Danilo: Todos nós sempre estivemos envolvidos com a música desde criança, estudando, tocando na noite em outras bandas, bares, eventos, etc. Vejo que essa bagagem foi muito importante para que sempre déssemos o devido valor e dedicação à carreira musical. Além disso, vale destacar que o Milo e o Gui são formados em música e hoje professores. Procurem os canais deles no Youtube e irão se surpreender!

Lindie: Como formaram a banda?

Danilo: Eu, meu irmão Gui e o Pablo somos de Mogi das Cruzes-SP e tocamos juntos desde a adolescência, e os diversos projetos musicais que tivemos desde então deram a bagagem necessária para que a Bravaguarda fosse concebida em 2016. Em 2017, com as composições do primeiro disco praticamente prontas para serem produzidas, conhecemos o Milo através de um amigo em comum e fizemos o convite para ele integrar o time, assumindo os teclados da banda. De quebra, ele também assinou a produção do nosso primeiro trabalho e dos singles que antecederam ‘Fica Mais Um Pouco’. 

Lindie: Como é o processo criativo de vocês, todos escrevem e compõem?

Danilo: Não existe uma regra imposta, mas desde o primeiro disco as composições vem sendo assinadas por mim ou pelo Gui, que também dividimos os vocais da banda. O arranjo das músicas é sempre feito em conjunto durante nossos ensaios semanais que, até a pandemia, aconteciam toda segunda-feira à noite. 

Lindie: Como foi a escrita e produção de ‘Fica Mais Um Pouco’?

Danilo: Essa foi uma música que eu escrevi em meados de 2020, durante a pandemia. Como não estávamos mais ensaiando (e ainda não estamos), todo o processo de pré-produção foi feito de forma remota, cada um gravando suas ideias em paralelo até chegarmos em uma versão aceitável a ser levada para a produção final. Em março deste ano, fechamos com o produtor Tulio Airold, que já trabalhou com artistas como Outroeu, Gabriel Gonti, Ana Gabriela, Chitãozinho & Xororó, para produzirmos esta e outras músicas que ainda serão lançadas. O trabalho foi todo realizado no estúdio No Santo Som, em Campinas. Passamos uma semana por lá, 100% focados no trabalho. Foi uma experiência incrível e trabalhar com o Tulio foi um enorme prazer e aprendizado.

Lindie: Vi que vocês se definem como “a primeira banda de folk de garagem do país”. Como vocês definiram esse estilo?

Danilo: Isso era um rótulo/brincadeira que criamos em 2018 quando lançamos o primeiro álbum, onde considerávamos que não tinha uma banda no BR que fazia um som com raízes folk, mas também abertos a misturar o rock de garagem. Por isso inventamos isso, até como uma forma de fortalecer nossa identidade no início da carreira. Hoje temos evitado usar este rótulo pois, felizmente, enxergo que conseguimos traduzir nossas influências de uma forma transparente nas nossas canções, nos dando a liberdade de fazer algo em qualquer estilo pré-definido.

Lindie: Quais as diferenças vocês destacam entre este novo single e o último álbum, Abra Seus Olhos?

Danilo: Acho que as principais diferenças que vejo são a clareza e maturidade no que queremos passar de mensagem e, consequentemente, de identidade sonora. O primeiro álbum foi um conjunto de 12 músicas que foram compostas em diferentes etapas da nossa vida, mas que de certa forma mostraram todas as nossas influências e onde queríamos chegar. Se fizer uma análise dos últimos singles depois do primeiro disco, dá pra entender o caminho que temos trilhado e que foi fundamental para chegássemos a esta sonoridade de “Fica Mais Um Pouco”. 

Lindie: O single faz parte de um futuro álbum?

Danilo: Era segredo, mas acho que vale dar este spoiler (risos). Este é o primeiro single de uma série de músicas que serão lançadas neste ano, e que depois irão compor um EP.

Lindie: Há novos lançamentos programados?

Danilo: Prontos para sair do forno! Como disse acima, temos mais algumas músicas para lançar até o final deste ano que irão compor um EP. Da nossa parte garantimos novidades até o último dia do ano!

Lindie: E se vocês pudessem enviar uma mensagem para vocês do passado e do futuro, o que vocês acreditam que seria?

Danilo: Para a Bravaguarda do passado nós diríamos para conterem a ansiedade, seguirem firme nesta longa estrada de ter uma banda no Brasil, que logo menos os primeiros frutos de tanto trabalho começariam a aparecer. Para a nossa versão do futuro, desejo que estejam saboreando cada momento, em cada lugar que estiverem tocando. Que continuem com seus princípios e raízes firmes e fortes, acreditando na força da música como poder transformador.

Ouça Bravaguarda:

Você também pode gostar

Logo Lindie

Letras para ler e ouvir.

Explorar

InícioMúsicaEntrevistasColunasSobreEquipeContato

© 2020 Lindie. Todos os direitos reservados