Com canções mais maduras, Zayn lança “Nobody Is Listening”, seu terceiro álbum

O anúncio do novo álbum de Zayn chegou como uma surpresa para os fãs. O cantor, que completou seus 28 anos recentemente, não é muito ativo em suas redes sociais, o que fez os fãs se surpreenderem com os anúncios de um novo single (Vibez), um videoclipe da mesma canção e também de um álbum fresquinho a caminho. Nobody Is Listening foi lançado no último dia 15 e é o terceiro álbum da carreira solo do artista. 

Em uma pegada mais pessoal e intimista, Nobody Is Listening representa bem o tipo de música que Zayn sempre quis cantar. Com canções mais maduras, o cantor apresenta 11 faixas onde explora bem o timbre de sua voz e nos mostra um R&B moderno e de excelente qualidade.

A primeira faixa do álbum, Calamity, pode soar levemente estranha no primeiro contato. Um ostinato de piano soa por toda a música enquanto Zayn usa da fala para apresentar a letra da canção. A letra é recitada com um traço de rap em algumas estrofes e os ouvintes podem apreciar um lado mais grave da voz de Zayn, não costumeiramente usada. O refrão, que fica ao final da música, conta com o nome do álbum de forma cantada: “Ninguém, ninguém está me ouvindo”.

A canção Better foi o primeiro single do álbum, lançada em setembro de 2020, e traz um ritmo envolvente e sensual, com um riff de guitarra que acompanha a voz do cantor. 

Em Outside, terceira faixa do álbum, o vocal de Zayn explora um falsete para ninguém colocar defeito! A voz macia e aveludada do cantor pode ser apreciada sem moderação. 

O número quatro do disco conta com o single Vibez, com uma batida mais eletrônica e de refrão dançante, a música agrada e envolve o ouvinte.

Na quinta faixa, When Love’s Around, Zayn apresenta a primeira parceria do álbum, a cantora Syd. As duas vozes trabalham muito bem juntas em um refrão dançante, seguindo a linha R&B

Em Connexion, Zayn volta a surpreender com vocais agudos e precisos, parte marcante de sua característica vocal. 

A sétima canção do disco é Sweat, letra bastante sensual e direta, excelente para adicionar àquela playlist específica e escutar acompanhado. “Deixe-me tocar onde você gosta / Deixe-me fazer isso por você / Te dar toda a minha atenção / Mergulhar naquele oceano de seu amor / Deixe-me mostrar o quanto eu te quero”.

Talvez a canção mais intimista do álbum, Unfuckwitable apresenta um lado mais sóbrio e maduro do cantor. A oitava música mostra trechos com melismas em uma voz com muita personalidade.

Windowsill chega com a segunda parceria do álbum e conta com a participação do artista Devlin, que canta um rap em sua contribuição à música. O refrão é cativante e fácil de pegar. 

Na penúltima música do disco, Tightrope, exibe um som mais tranquilo e suave. Está presente na canção um verso cantado em urdu pelo próprio Zayn, parte que dá um toque muito especial à obra: “Você é a lua cheia ou o sol? / O que quer que você seja / Juro por Deus / É incomparável”.

Fechando o álbum com chave de ouro, Zayn apresenta River Road, melodia lenta com acompanhamento da guitarra junto com a voz do artista. 

O disco soa impecável dentro do estilo do cantor, que sabe explorar com convicção sua voz e usar de técnicas que favorecem seu timbre. Zayn está firme e forte na divulgação do álbum e parece muito feliz e realizado com o resultado do mesmo. Com postagens nas redes sociais e lives no instagram, você pode acompanhar melhor o artista que está se empenhando na aproximação junto dos fãs.

Ouça “Nobody Is Listening”:

Sobre o autor

Gabriela de Oliveira

Formada em Música e colunista do Lindie. Desenhista nas horas vagas, fã em todos os momentos e a prova viva de que o emo não morreu.

Logo do Twitter
Logo do Instagram

Comentários

Você também pode gostar

Mcfly lança “Tonight Is The Night”, novo single de "Young Dumb Thrills"

Em Música por Luisa Pereira

Luca Libre e o grito social da música com “Help I Slave”

Em Música por Luisa Pereira

O centenário de Hercule Poirot e a estreia policial de Agatha Christie

Em Literatura por Luisa Pereira

Cefa mostra seu lado visceral e destrincha as faces do “Caos”

Em Música por Luisa Pereira

Ruel, a jovem estrela em ascensão

Em Música por Luisa Pereira

Submerso engata série de lançamentos e planeja futuro

Em Entrevistas por Luisa Pereira

Com influências do rock oitentista, Miley Cyrus apresenta nova faceta em “Plastic Hearts”

Em Música por Luisa Pereira

Dupla Anavitória traz “Cor” com apostas variadas, mas sem sair do conforto

Em Música por Luisa Pereira

Valley, o potencial grupo pop alternativo traz instrumental eletrizante e letras melancólicas 

Em Música por Luisa Pereira

Julie Neff se desprende da raiva e frustração em Over It

Em Música por Luisa Pereira

Reforme se prepara para entrar de vez na cena nacional e planeja série de lançamentos em 2021

Em Entrevistas por Luisa Pereira

O Elevador lança Nada para num Instante: “mais maduro tecnicamente”

Em Entrevistas por Luisa Pereira

Rafael Martins estreia projeto solo com Barco no Seu Mar

Em Entrevistas por Luisa Pereira

Da MPB ao jazz: Fernando Mascarenhas lança Dizperto, seu primeiro álbum

Em Música por Luisa Pereira

André Ribeiro inicia nova fase com session intimista

Em Entrevistas por Luisa Pereira

Vítor Guima aposta na brasilidade com o sensível e linear “Canções Para Beatriz”

Em Música por Luisa Pereira

Em uma montanha-russa de emoções, Olivia Rodrigo atravessa desilusões em Sour

Em Música por Luisa Pereira

Davi Cartaxo lança singles e sinaliza aspectos do primeiro álbum

Em Entrevistas por Luisa Pereira

A pluralidade dos talentos de Darren Criss

Em Música por Gabriela de Oliveira