Logo Lindie
Mcfly exala felicidade em reencontrar o Brasil e ferve noite fria em São Paulo
Shows

Publicado porLuisa Pereira

em 20/05/2022

Imagem por David Spearing

A espera valeu a pena. Entre a última turnê do Mcfly ao Brasil e a atual vinda transcorreram longos 10 anos. Agora, finalmente, Tom Fletcher, Danny Jones, Dougie Poynter e Harry Judd estão novamente em solo brasileiro e, na noite de 18 de maio, fizeram seu segundo show em São Paulo, primeira parada da tour.

O quarteto inglês desembarcou na manhã de segunda-feira, 16, em Guarulhos. Desde então, eles têm exalado felicidade em estar de volta. Recepcionados por fãs no aeroporto, o grupo aproveitou o carinho e tirou fotos com os grupos. À vontade no país, eles também passaram uma tarde correndo no Parque do Ibirapuera, onde recriaram a capa de Room on the 3rd Floor, primeiro álbum da banda.

Com a abertura de uma noite extra na capital paulista, os músicos se apresentaram duas vezes no Espaço Unimed - antigo Espaço das Américas - e lotaram a casa na segunda noite. O público, que parecia menos participativo no primeiro show, foi substituído por uma energética plateia que encarou, ao longo do dia na fila, as temperaturas mais baixas já registradas na cidade em 2022, chegando a 7°C.

Todo o frio se esvaiu quando as luzes do local foram apagadas e, do palco, via-se o vermelho de Red e a casa foi preenchida com os vocais potentes de Danny Jones. A empolgação permaneceu nas próximas faixas Friday Night, One For The Radio, Star Girl e Lies. A sequência dos clássicos da última década não deixou com que a energia do público caísse em nenhum momento, sempre extraindo o máximo possível das cordas vocais de quem assistia.

No palco, o Mcfly parecia flutuar de felicidade e talento. Sempre empolgados, os quatro se divertiam enquanto mostravam que estão mais sintonizados do que nunca. Durante as pausas, era o momento dos fãs gargalharem com as trapalhadas de Danny aprendendo a pedir “uma cerveja, por favor” e mostrando toda a sua malemolência ao diferenciar a água comum da com gás. Dougie também interagiu com a plateia em momentos diversos, além de brilhar - mais uma vez  - nos vocais de mais alguns trechos de canções. Tímido, o baixista tem se sentido mais à vontade nos vocais a cada novo show.

Tom Fletcher, que ficou sem voz antes da primeira apresentação do grupo - que o impossibilitou de cantar tudo o que poderia e de dar entrevistas ao longo do dia - estava ainda debilitado, mas com uma imensa vontade de compensar isso através de sua energia e entrega na guitarra e violão. O cantor assumiu os vocais em algumas faixas a partir de Josephine e, assim que cantou, recebeu o carinhoso afago dos fãs.

Pela primeira vez em solo brasileiro, Mcfly tocou três faixas do último disco, Young Dumb Thrills, marcando um encontro geracional entre o passado e o presente do grupo. Criticadas por parte da fanbase, o momento, entretanto, contou com o silêncio de parte da plateia ao mesmo tempo em que o quarteto dava seu máximo para apresentá-las. 

Entre um show e outro, os artistas alteraram a setlist alterando Walk In The Sun por Not Alone e I’ve Got You por No Worries, ambas acústicas conduzidas pela extraordinária voz de Danny. Outra mudança foi a participação de Manu Gavassi em Falling In Love. A artista e fã do quarteto chegou a contar, no palco, que essa foi a primeira música cantada profissionalmente por ela no Espaço das Américas. A história proporcionou mais um momento hilário quando Dougie, sem entender muito bem o que foi falado e brincando, perguntou: “O que ela acabou de contar para vocês? Imagina ela falando ‘eu conheci esses caras hoje e eles me convidaram para tocar uma tal de Falling In Love, então ok”.

O momento descontraído, então, deu lugar a loucura alcançada com o início de Five Colours In Her Hair e, em seguida o mais nostálgico e forte sentimento atingiu a todos os presentes em The Heart Never Lies, a última da noite e que carrega uma história forte, especialmente na mudança do verso “Another year over / And we're still together / It's not always easy / But I'm here forever” - Mais um ano acabou / E ainda estamos juntos / Nem sempre é fácil / Mas eu estou aqui para sempre - para “Another year over / And we're still together / It's not always easy / But Mcfly's here forever”. O trecho emociona até o mais cascudo fã da banda, já que houve um hiato de alguns anos, encerrado em setembro de 2020.

No final, mesmo com a temperatura baixa do lado de fora, o que se via nos fãs era o brilho no olhar de, finalmente, poder ter visto o tão esperado show do Mcfly em solo brasileiro. Sem decepcionar e até surpreendendo parte do público, os músicos mostraram o porquê são considerados excelentes no ao vivo, elevando cada canção ao máximo nas performances e preenchendo o palco e a casa de show com nostalgia, técnica e bom humor nos momentos de pausa. 

Próximos shows no Brasil

Após a chegada em São Paulo e os dois shows na capital, o quarteto viaja para Belo Horizonte, onde se apresenta em 21 de maio, no Expominas. No dia seguinte, os ingleses tocam em Porto Alegre. Ribeirão Preto - em 24 de maio - e Rio de Janeiro - em 26 - encerrarão a turnê do Mcfly no Brasil.

Os músicos, no entanto, garantiram em entrevista que retornarão ao país em 2023 já com um novo álbum lançado. 

Você também pode gostar

Logo Lindie

Letras para ler e ouvir.

Explorar

InícioMúsicaEntrevistasColunasListasSobreEquipeContatoPolítica Privacidade

© 2020 Lindie. Todos os direitos reservados